Renato Modernell

Lançamento do Livro:

Breve como o Verão

19/08/16 - 18:00 

Na maior praia do mundo, a sensação de vazio desperta estranhos impulsos nas pessoas. Breve como o verão, de Renato Modernell (Ed. do Autor, 272 p.), apresenta casos exemplares. Um pacato professor de latim, ao assumir em sonho o cargo de presidente da república, impõe-se a missão de acabar com a bandalheira no Brasil. Um arguto comissário de polícia, em férias com a família, sente-se impelido a investigar fatos que os moradores do balneário preferem esquecer. Um engenheiro finlandês deixa-se envolver por uma mulher que deveria ter sabido evitar.

Breve como o verão reúne três histórias ambientadas em um balneário próximo à barra da Lagoa dos Patos, uma região plana, arenosa e peculiar sob os pontos de vista ecológico e cultural, mas ainda a ser descoberta pela maioria dos brasileiros. Tendo vivido ali até os 18 anos, o autor pôde observar a vida marítima, os tipos locais e os pitorescos hóspedes do Hotel Familiar, pertencente à sua família e que era também seu domicílio no verão. As histórias são independentes, mas compartilham vários personagens e a atmosfera felliniana do hotel, ponto de

ressonância das notícias radiofônicas divulgadas no trovejante Repórter Esso.

“Verão de 1955” é uma história policial que se desenrola em um Brasil ainda abalado pelo suicídio de Vargas. “Verão de 1964” retrata os temores da classe média no período caótico que precedeu o golpe militar. “Verão de 2031”, fábula futurista, esboça a vida cotidiana na quarta década do século XXI, tendo a globalização já disseminado o extremismo até em locais de lazer como o balneário onde se situa o Hotel Familiar.

Breve como o verão é o 15º título publicado por Renato Modernell e, entre esses, o 6º em edição independente. O autor tem se envolvido cada vez mais na produção da própria obra. Neste livro, além do texto, também criou o projeto gráfico, capa, ilustrações e inscrições em caligrafia. Com tiragem restrita, a 1ª impressão do

livro tem os exemplares manualmente numerados e carimbados com a rubrica do autor.

Escritor, jornalista e professor. Nasceu em 1953 na cidade de Rio Grande, no extremo sul do Brasil. Formou-se em jornalismo pela FAAP (1975), em São Paulo, onde radicou-se aos 18 anos, tendo morado também em Roma e Barcelona. Mestre em Jornalismo (2004) pela USP e doutor em Letras (2009) pelo Mackenzie, onde dá aulas desde 2006 em áreas como Criação de Texto e Literatura. Atuou como professor no curso de pós-graduação da Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL). Publicou 15 livros, entre os quais Breve como o Verão, Mare Magnum, Gird, Viagem ao Pavio da Vela, Sonata da Última Cidade e Meninos de Netuno. É autor de três obras ensaísticas nas áreas de cultura e comunicações: Um Sábado que não Existiu, A Notícia como Fábula e Em Trânsito. Recebeu dois prêmios Jabuti, nas quatro vezes em que foi finalista do certame, além de outros prêmios literários dentro e fora do país. Como jornalista, dedicou-se sobretudo a reportagens de viagem, seu tema de doutorado. Trabalhou nas revistas Quatro Rodas, Globo Ciência (atual Galileu), Época, Caminhos da Terra e outras publicações.